16 de fevereiro de 2012

Adaptação na escola


Muitas pessoas perguntam sobre a adaptação da Míriam, mas, pra ser sincera, eu não sei dizer. A única certeza que tenho é que está sugando minhas energias.

Na escola ela fica bem, mas depois, em casa... não me deixa respirar. Não quer nem que eu suma da vista dela, quer que eu brinque o tempo todo, só troca fralda, toma banho... se for comigo, e até jantamos de mãos dadas. Conclusão: a casa está desarrumada e as roupas estão todas acumuladas pra lavar, louça na pia... Sem tempo e totalmente sufocada.

Apesar das tias estarem otimistas, achando que a Míriam está se adaptando super bem, eu tenho dúvidas. Além desse comportamento estranho em casa, quando alguém pergunta como foi a escola, ela já não fala mais que brincou, se divertiu... Agora, ela foca a atenção para a mamãe que ficou longe, no amiguinho que chorou pedindo a mamãe, na tia que disse que a mamãe já vem... 

Eu combinei com a Míriam de que, se ela precisasse de mim, eu estaria por perto, bastava ela pedir pra tia. Estou desconfiada de que a Míriam pediu e a tia "enrolou". Como a Míriam não tá chorando, as tias acham que ela tá bem, mas isso vai minar a confiança dela. Eu já falei com a professora e a psicopedagoga: "se vocês acham que a Míriam vai chorar quando estiver mal e esperarem ela estar aos prantos para me chamar, é porque a coisa ficou feia e a Míriam não vai querer voltar." 

E o pior é que eu sei que ela não tá bem por causa do comportamento em casa. Ela não desgruda de mim, está até me sufocando. Ontem ela não dormiu de tarde e resistiu à dormir de noite. Acho que ela está com medo de acordar e ir pra escola. Ela acordou umas 3 vezes com pesadelo. 

Espero que corra tudo bem, mas pode ser que dê um retrocesso. Sinceramente, eu não sei dizer se a adaptação está sendo boa e confesso que estou com medo de acordá-la  e ouvir uma recusa. No entanto, como hoje é o baile de carnaval da escola e ela vai fantasiada, quem sabe essa novidade não a anime.


Eu e Míriam no final do primeiro dia.

   

10 comentários:

  1. She looks pretty excited of her school.

    ResponderExcluir
  2. Tenho certeza que logo vc estará feliz e confortável com a escolinha!
    Passando tbm para desejar uma ótima sexta-feira de carnaval!
    Bjus

    ResponderExcluir
  3. oi!
    vim dar meu pitaco como vc pediu:
    1. vc está certa: se vc combina uma coisa com sua filha, tem q cumprir. sugiro q vc combine com a professora, junto com a coordenadora e faça elas garantirem q ligarão se miriam pedir, mesmo q n chore...
    2. não sei como vcs estão fazendo, mas por aqui ele está ficando uma hora a menos na escola... vão diminuindo com o tempo... vc podia combinar um horário mais cedo pra buscar, caso a carga horário esteja sendo cumprida na íntegra.
    3. dê a ela o ela precisa: você! esqueça a casa e tenha tempo de qualidade com ela. peça para ela te ensinar algo da escola, cante as músicas... fale bem da professora e dos colegas.

    daqui a pouco esta etapa estará concluída e vc vai ter trabalho é pra tirá-la de lá!!!

    qq coisa, grite!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conversei hoje com a psicopedagoga, que é um amorzinho, e pedi pra que me garantisse que iriam me chamar caso a Míriam pedisse.

      Mariana, eu e as outras mamães estamos ali ao lado, dentro da escola mesmo, e as tias não chamam!

      Elas tentam resolver sozinhas, são mega carinhosas, atenciosas... mas eu penso que, nesse período de adaptação, as tias precisem mesmo das mães pq é impossível lidar com todas as crianças ao mesmo tempo. O pior é que uma começa a chorar e as outras entram no coro.

      A Míriam não chora, mas fica angustiada de ver os amiguinhos chorando. Ontem eu entrei um pouco na sala e entendi a angústia da minha filha. Eu tive vontade de sair correndo. Fiquei com ela até que tudo acalmasse e só então saí.

      As crianças ficam, em média, umas 2 horas só.

      Hoje fiquei mais otimista. Depois relato mais aqui no blog. :)

      E obrigadinha pela visita e pelos pitacos. =]

      Beijos.

      Excluir
  4. Oi, tudo bem?
    Meu nome é Aline e eu gostaria de divulgar o meu trabalho, espero que não se importa! Faço histórias personalizadas para lembrancinhas de nascimento e aniversário. O enredo é baseado em um questionário que envio para a mamãe pedindo algumas informações sobre seu/sua pequeno/a. No meu blog você pode saber mais e ver fotos de lembrancinhas que já preparei:

    http://suahistoria-minhaspalavras.blogspot.com/

    Grata pela atenção!

    ResponderExcluir
  5. Oi! Minha primeira vez aqui. Adorei seu blog.
    Entendo perfeitamente o que você disse... Cada criança reage de um jeito e sei que você deve ficar de coração partido com tudo isso... Concordo com a Mariana (acima) muita conversa e o cumprimento da promessa que vai estar ao lado quando ela pedir vai passar segurança e a angústia dela vai diminuir. Tadinha... Espero que a pedagoga e professora façam a parte delas.

    Beijos e bom carnaval!

    ResponderExcluir
  6. Oi, Cris! Realmente, muito lindas as bonecas que você indicou, já fiquei com vontade de comprar. Que cabelão comprido que tem a Míriam, já dá pra fazer um monte de penteados criativos, né? Por enquanto, só consigo fazer maria-chiquinha na minha Sussuquinha... hehehe. Obrigada pelo seu comentário, abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já tentei fazer penteados, mas não consigo de jeito nenhum. Se eu fosse precisar ser cabeleireira pra ganhar a vida, eu estava perdida. xP

      Excluir
  7. Oi Cris, passei pra meter o bedelho. Essa necessidade de você é relativamente normal, afinal ela começou a ficar sem você não é mesmo? Quando falei sobre o Mopi, não disse que é uma escola ruim, só que não serve para mim. Por tudo o que está lá onde você comentou e por mais essas coisas que você contou.

    Aqui em casa, tivemos um problema e acabamos não colocando Helena na escola que queríamos, mas onde podíamos por questões logísticas. E a coisa andou relativamente bem até outubro. De repente, ela não podia nem ouvir falar da escola que chorava, quando passava na frente, mesmo em finais de semana ou à noite, tentava mudar o caminho ou virava a cara. Ficou de férias desde então. Ficamos com medo de forçar a barra e criar um trauma, um não gostar de escola de jeito nenhum. Agora, ela está na escola que sempre pensamos, a Oga Mitá.

    É muito diferente de todas as escolas que conheci. É construtivista mesmo, não só no discurso. Não tem esse papo de tia, as pessoas se chamam pelos nomes. Os acordos são cumpridos com as crianças e com os pais. E os pais participam de verdade da escola, somos quase compelidos a isso. Afinal, educação é muito diferente de escolarização.

    Mas isso tudo que é bom para nós não é bom para muita gente. A grande questão é entender que modelo de escola você deseja, que modelo de educação você espera.

    Se pensa em construtivismo e ainda está em duvidas sobre o Mopi, faça visitas à Criança e Cia, na Saboia Lima, e na Oga Mitá, em Vila Isabel.

    ResponderExcluir
  8. Sua filhota tá linda...super normal agir assim..meu pequeno era assim mesmo, mas agora já se adaptou graças a Deus...bjss mil

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...